Viagra não provoca melanoma

Estudo publicado na revista “Journal of the National Cancer Institute”

23 maio 2017
  |  Partilhar:
O uso do medicamento para a disfunção erétil Viagra não provoca uma forma agressiva de cancro da pele, indicou um novo estudo.
 
Conduzido por uma equipa de investigadores do Centro Clínico Langone e Centro do Cancro Perlmutter da Universidade de Nova Iorque, EUA, o estudo não demonstrou evidência que os fármacos para a disfunção erétil causem melanoma, apesar de um aumento de 11% no risco de desenvolver a doença nos homens que tomam aquela medicação.
 
Os autores do estudo atribuem o aumento do risco a uma “deteção tendenciosa”, em que o grupo de pacientes que poderá tomar fármacos da família do Viagra também possa ter mais cuidado com a saúde, de ir ao médico e, portanto, de apresentarem uma maior propensão para serem diagnosticados com melanoma em relação a outros homens da mesma idade.
 
O estudo foi efetuado na sequência de o Viagra e outros fármacos para tratar a disfunção erétil, terem sido colocados numa lista de observação por possíveis problemas de segurança, após publicação de um relatório que associava a toma de Viagra a um maior risco de melanoma. 
 
Stacy Loeb, urologista e docente naquela faculdade, e colegas prepuseram-se então investigar essa relação. Para o efeito, analisaram dados de estudos de largo espetro sobre utilizadores de medicação para a disfunção erétil e melanoma, publicados entre 2014 e 2016 e que envolviam 866.049 homens, 41.874 dos quais tinham sido diagnosticados com aquele tipo de cancro.
 
A equipa descobriu que existia um aumento no risco nos homens que tomavam uma quantidade reduzida de medicação para a disfunção erétil, mas nos homens que tomavam uma quantidade substancial daqueles fármacos o aumento no risco de melanoma não era significativo. 
 
Os investigadores consideram também que se os fármacos para a disfunção erétil causarem melanoma, seria de esperar que se observasse a doença de forma mais agressiva nesse grupo, mas não foi o caso. Foi encontrado um maior risco de melanoma num estado inicial nos utilizadores de medicação para a disfunção erétil, mas o risco de melanoma agressivo naqueles homens era inferior ao risco dos não-utilizadores. 
 
“De forma geral, o Viagra e outros inibidores de PDE5 são medicamentos seguros desde que os homens não tomem nitratos, o que traz um risco de redução na tensão arterial”, concluiu Tracy Loeb. 
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentar