Trabalhos sobre imunidade do intestino e deteção precoce do cancro gástrico premiados

Prémios Pfizer de Investigação 2016

16 novembro 2016
  |  Partilhar:
Os Prémios Pfizer de Investigação 2016 distinguiram este ano trabalhos sobre a imunidade do intestino e a deteção precoce do cancro gástrico.
 
Segundo a notícia avançada pela agência Lusa, a equipa liderada pelo investigador Henrique Veiga-Fernandes, do Instituto de Medicina Molecular de Lisboa, foi distinguida com o Prémio de Investigação Básica, pelo estudo sobre a imunidade do intestino, enquanto o grupo do gastrenterologista Pedro Pimentel Nunes, do Instituto Português de Oncologia do Porto, recebeu o Prémio de Investigação Clínica, pela avaliação da eficácia do uso de uma nova tecnologia na deteção precoce de cancro gástrico.
 
Num estudo publicado em julho na revista “Nature”, a equipa de Henrique Veiga-Fernandes identificou, numa experiência com ratinhos, uma troika celular regulada pelo sistema nervoso, "que define a saúde do intestino e controla a inflamação intestinal".
 
Para os cientistas, os resultados poderão ser promissores para o desenvolvimento de novas estratégias de prevenção e tratamento contra a inflamação intestinal crónica, como a doença de Crohn ou a colite ulcerosa, e até contra o cancro intestinal.
 
A troika celular é formada por células da glia (células do sistema nervoso), linfócitos inatos intestinais (células de defesa do intestino contra agressões) e epitélio intestinal (tecido celular de revestimento do intestino), protegendo o intestino contra infeções bacterianas e inflamações.
 
O grupo de Pedro Pimentel Nunes concluiu que o uso da endoscopia com imagens de banda estreita ( NBI - Narrow-band imaging) pode aumentar a deteção precoce do cancro gástrico.
 
A tecnologia NBI, que está ao alcance de um toque no botão do endoscópio (instrumento utilizado nas endoscopias), "aplica um filtro de luz que realça o padrão mucoso e vascular”.
 
O trabalho distinguido com o Prémio Pfizer de Investigação Clínica testou a eficácia da endoscopia com NBI no diagnóstico de lesões pré-malignas gástricas em Portugal, Itália, Roménia, Reino Unido e Estados Unidos, a partir de uma amostra de 238 doentes e 1.123 biópsias endoscópicas.
 
A equipa internacional, liderada pelo gastrenterologista Pedro Pimentel Nunes, comprovou que o uso da tecnologia NBI "permitiria o diagnóstico de condições pré-malignas com 98 por cento de certeza", sendo que "a sua utilização, por rotina, pode aumentar a deteção precoce do cancro gástrico".
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Comentários 0 Comentar