Terapia hormonal para hipogonadismo pode prejudicar saúde em alguns homens

Estudo apresentado no congresso da Sociedade Fisiológica Americana

09 outubro 2018
  |  Partilhar:
Uma equipa de investigadores sugere que a terapia hormonal para o tratamento do hipogonadismo poderá não ser segura ou apropriada para alguns homens.
 
O hipogonadismo consiste na produção de níveis insuficientes da hormona sexual masculina testosterona pelo organismo. O problema pode ocorrer em qualquer idade e nos homens adultos pode ser causado por obesidade, uso de determinados medicamentos e pelo envelhecimento normal.
 
A suplementação de longo prazo com testosterona para o hipogonadismo promove a normalização dos níveis da hormona no organismo e demonstrou ter reduzido fatores de risco para as doenças cardíacas como a resistência à insulina, o colesterol elevado e a inflamação sistémica. 
 
No entanto a equipa de investigadores do Centro Médico da Universidade do Mississippi, EUA, descobriu que o tratamento de longa duração com testosterona poderá não ser benéfico para todos os homens.
 
Com efeito, num ensaio conduzido em ratazanas obesas com hipogonadismo, foi observado que a suplementação com testosterona nos animais conduziu a um aumento na tensão arterial. Esta subida na tensão arterial ocorreu mesmo com o melhoramento de outros fatores como o colesterol e a inflamação. 
 
Os resultados sugerem que a terapia hormonal poderá não ser adequada e segura nos homens que apresentam fatores de risco para desenvolverem doenças cardíacas, concluíram os autores, tornando-se necessários mais estudos sobre diferentes grupos populacionais que elucidem os efeitos da testosterona sobre os fatores de risco cardiometabólicos. 
 
A Sociedade Endócrina norte-americana prevê nas diretrizes clínicas de 2018 que os homens com baixos índices de testosterona e insuficiência cardíaca ou que tenham tido recentemente um acidente vascular cerebral ou ataque cardíaco não usem suplementação de testosterona.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentar