Notas de enfermagem podem ajudar prognóstico de pacientes em cuidados intensivos

Estudo publicado na revista “PLOS ONE”

18 julho 2018
  |  Partilhar:
Uma equipa de investigadores descobriu que os sentimentos expressos nas notas de enfermagem pelos prestadores de cuidados de saúde são bons indicadores da sobrevivência ou não dos pacientes nas unidades de cuidados intensivos.
 
Normalmente, os hospitais utilizam escalas de severidade da doença para prognosticar a sobrevivência a 30 dias nos pacientes admitidos nos cuidados intensivos. Essas escalas incluem resultados de análises, sinais vitais e características fisiológicas e demográficas, recolhidos no espaço de 24 horas após a admissão.
 
Apesar de considerarem a informação fisiológica dos pacientes recolhida nesse período de tempo como sendo muito importante para o prognóstico da sua sobrevivência a 30 dias, o achado efetuado por investigadores da Universidade de Waterloo, Reino Unido, sugere que os profissionais de saúde não se devem só basear nas componentes objetivas do estado de saúde dos pacientes.
     
Os investigadores liderados por Joel Dubin conduziram um estudo em que analisaram elementos de bases de dados de unidades de cuidados intensivos, com informação sobre mais de 27.000 pacientes de 2001 a 2012, que incluíam pelo menos uma nota de enfermagem.
 
A análise foi efetuada através da aplicação de um algoritmo de análise de sentimentos para extrair adjetivos nos textos que indicassem se a nota era positiva, negativa ou neutra. Posteriormente, a equipa aplicou um modelo de regressão logística múltipla aos dados para demonstrar a relação entre o sentimento medido e a mortalidade no espaço de 30 dias, considerando o sexo, tipo de unidade de cuidados intensivos e a pontuação obtida na fisiologia aguda simplificada.
 
Como resultado, a análise de sentimentos proporcionou uma melhoria visível na prognosticação da mortalidade dos pacientes no espaço de 30 dias. 
 
Foi detetada uma diferença clara entre os pacientes com as mensagens mais positivas, que apresentaram as maiores taxas de sobrevivência, e os que tinham recebido as mensagens mais negativas, que tiveram as taxas mais reduzidas de sobrevivência.
 
Joel Dubin considerou que além da mortalidade, as notas de enfermagem poderão ser usadas para prognosticar a readmissão ou recuperação de infeções em contexto de cuidados intensivos.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentar