Mecanismo de desencadeamento das alergias alimentares descoberto

Estudo publicado na revista “Journal of Allergy and Clinical Immunology”

11 abril 2018
  |  Partilhar:
As alergias alimentares nos bebés e crianças, cuja causa tem sido um grande mistério, foram associadas a uma mistura de fatores ambientais e genéticos coexistentes, revelou um novo estudo.
 
Desenvolvido por uma equipa de investigadores liderados por Joan Cook-Mills, da Faculdade de Medicina Feinberg da Universidade de Northwestern, EUA, o estudo foi considerado um enorme avanço na perceção dos mecanismos subjacentes àquele tipo de alergias numa idade precoce.    
 
Há evidência clínica a demonstrar que até 35% das crianças com alergias alimentares apresentam dermatite atópica e isso é explicado por mutações genéticas que fazem reduzir a barreira da pele.
 
Para o estudo, a equipa usou ratinhos recém-nascidos com mutações genéticas na barreira da pele, expondo-a a alérgenos alimentares como amendoins. Foi observado que os amendoins isoladamente não exerceram qualquer efeito.
 
Joan Cook-Mills considerou seguidamente a exposição dos bebés aos alérgenos ambientais no pó das casas, que pode suceder através da pele, como por exemplo, receberem um beijo de um irmão que tenha comido manteiga de amendoim. 
 
Depois, ao pesquisar estudos em que se observou serem transmitidos compostos através da pele com o uso de sabão, a equipa lembrou-se das toalhitas de bebé. A camada superior da pele é feita de lípidos e o sabão contido nas toalhitas perturba essa barreira, explicou a autora.
 
A pele dos ratinhos recém-nascidos foi exposta três a quatro vezes a alérgenos alimentares e do pó, durante 40 minutos, por um período de duas semanas. Posteriormente, foram alimentados oralmente com ovo ou amendoins o que lhes provocou reações alérgicas no local onde a pele tinha sido exposta e nos intestinos, e ainda anafilaxia.
 
Perante os achados, Joan Cook-Mills recomenda uma intervenção precoce para evitar as alergias alimentares, como reduzir o uso das toalhitas nos bebés e optar por água e lavar as mãos antes de tocar no bebé. 
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentar