Fármaco para a obesidade revelou-se eficaz a longo termo

Estudo apresentado no Congresso da Sociedade para o Estudo do Comportamento Ingestivo

19 julho 2018
  |  Partilhar:
Um novo fármaco baseado num composto presente na malagueta demonstrou perda de peso e melhoramento da saúde metabólica a longo termo em ratinhos alimentados com uma dieta rica em gordura.
 
O composto conhecido como capsaicina, é responsável pela componente ativa da malagueta que oferece a conhecida sensação picante. A capsaicina foi integrada num fármaco elaborado por uma equipa de investigadores da Faculdade de Farmácia da Universidade de Wyoming, EUA.
 
O fármaco, que foi denominado “Metabocin”, foi desenvolvido de forma a libertar o composto lentamente, ao longo do dia, de forma a combater a obesidade sem produzir inflamação ou efeitos secundários adversos. 
 
Os investigadores explicaram que o fármaco pode ser tomado oralmente e atua sobre uns recetores conhecidos como TRPV1, que se encontram em abundância nas células adiposas. A estimulação dos recetores TRPV1 faz com que as células adiposas brancas comecem a queimar energia em vez de a armazenarem, o que em teoria conduz à perda de peso. 
 
“Observámos melhorias importantes nos níveis de açúcar no sangue e de colesterol, resposta à insulina e sintomas de doença do fígado gorduroso”, relatou Baskaran Thyagarajan, investigador que liderou este estudo.
 
O investigador indicou ainda que o fármaco “Metabocin” reverteu muitos dos efeitos negativos provocados pelas dietas ricas em gordura.
 
A equipa pretendia ainda saber se o fármaco mantinha a sua eficácia se for usado a longo prazo e se os efeitos adversos eram superiores aos benefícios. Os ratinhos no ensaio tomaram o fármaco ao longo de oito meses e mantiveram a perda de peso, sem demonstrarem problemas.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Classificações: 1 Média: 5
Comentários 0 Comentar