Descoberto fator que conduz à insuficiência cardíaca

Estudo publicado na revista “Nature Communications”

15 janeiro 2019
  |  Partilhar:
Uma equipa de investigadores descobriu um fator, até à data desconhecido, que conduz à miocardiopatia dilatada.
 
A miocardiopatia dilatada faz reduzir a capacidade de o coração bombear sangue porque a sua câmara principal, o ventrículo esquerdo, fica dilatado e enfraquecido. Esta doença perigosa contribui para 20% dos casos de insuficiência cardíaca.
 
Num estudo conduzido por uma equipa de investigadores liderada por Gavin Oudit da Universidade de Alberta, Canadá, foi identificada uma molécula-chave conhecida como PI3K alfa que se pode unir à enzima gelsolina, silenciando-a. A enzima gelsolina em níveis excessivos pode destruir os filamentos que perfazem a estrutura das células cardíacas.
 
Os investigadores consideram que a molécula PI3K alfa é bastante promissora como um possível alvo de tratamento, através da medicina personalizada e de precisão, em doentes com miocardiopatia dilatada.
 
A equipa investigou a doença a nível molecular, tanto em animais como em corações humanos, e descobriu que a via que conduz à miocardiopatia dilatada é comum a todas as espécies.
 
Gavin Oudit explicou que a doença é causada por stress biomecânico, o qual ativa a enzima gelsolina. “Precisamos de alguma gelsolina, mas quando fica descontrolada destrói coisas. A molécula corrói os filamentos e pode desenvolver-se uma insuficiência cardíaca mesmo má”, disse o investigador principal do estudo.
 
“Mas nós também demonstrámos que, quando se silencia esta molécula, preserva-se a função cardíaca. Fica intacta”.
 
Não existem atualmente tratamentos específicos para os doentes com insuficiência cardíaca. São usados os mesmos medicamentos para todos os pacientes. Gavin Oudit está confiante que, ao perceber-se melhor aqueles doentes, será possível desenvolver tratamentos específicos para cada um.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentar