Descoberta proteína relevante para o crescimento do cancro pancreático

Estudo publicado na revista “Genes and Development”

16 setembro 2019
  |  Partilhar:
Investigadores do Centro do Cancro Anderson, da Universidade do Texas, EUA, revelaram uma proteína oncogene responsável pela forma de cancro no pâncreas mais letal e comum, o adenocarcinoma pancreático ductal.
 
As protéases específicas de ubiquitina (UPS) são um grupo de enzimas conhecido como protéases de cisteína e têm um papel importante no desenvolvimento de tumores.
 
Ronald DePinho explica que as “análises genómicas identificaram amplificações frequentes da UPS21 (protéase específica de ubiquitina 21) no adenocarcinoma pancreático ductal”.
 
DePinho acrescenta ainda que “Esta sobreexpressão está relacionada com a progressão do adenocarcinoma em amostras de doentes, conduziu a transformação de malignidade em células pancreáticas humanas e promoveu o crescimento tumoral em ratos”.
 
Os investigadores observaram ainda que a redução da USP21 restringe o crescimento tumoral.
 
Esta descoberta é de grande relevância, dado que as terapêuticas existentes são ineficazes contra o adenocarcinoma pancreático ductal.
 
DePinho conclui que este estudo revela outras oportunidades de aprofundamento, sendo que “classificar os adenocarcinomas com base em assinaturas moleculares sugere a existência de potenciais condutores oncogénicos distintos para vários sub-tipos de adenocarcinomas”.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentar