Combinação de tratamentos pode atrasar a progressão da miopia em crianças

Apresentação no 123º Encontro Anual da Academia Americana de Oftalmologia

21 outubro 2019
  |  Partilhar:
Investigadores da Universidade de Medicina Jichi, no Japão, desenvolveram um estudo que revela que utilizar a combinação de dois tratamentos é mais eficaz a travar a progressão da miopia do que utilizar apenas um.
 
A miopia é uma epidemia a nível mundial que afeta cerca de 42% da população americana e cerca de 90% dos jovens e adultos na Ásia.
 
A miopia com baixas dioptrias (abaixo de -6) pode ser facilmente resolvida com óculos ou lentes de contacto, mas a miopia com altas dioptrias acarreta consequências como glaucoma ou descolamento da retina.
 
Existem atualmente dois métodos para abrandar a progressão da doença. Um dos métodos passa por aplicar gotas de colírio com 0.01% de atropina que dilata o olho. Não se sabe como atrasa a progressão da doença, mas é eficaz e seguro.
 
O outro método consiste na ortoqueratologia que envolve a aplicação à noite de uma lente de contacto rígida permeável ao gás. Esta irá dar forma à córnea, mudando o foco periférico do olho.
 
Para o estudo, foram aleatoriamente selecionadas 80 crianças e divididas em dois grupos: um grupo recebeu ambos os tratamentos, o segundo grupo recebeu apenas o tratamento de ortoqueratologia. As crianças tinham entre 8-12 anos e miopia leve a severa (de -1 a -6 dioptrias).
 
Ao fim de três meses de tratamento e de dois anos de acompanhamento, os investigadores descobriram que nas crianças com miopia mais grave a combinação dos tratamentos teve uma eficácia 28% superior, comparando com o uso de apenas as lentes.
 
Nas crianças com miopia menos grave, a combinação de tratamentos teve uma eficácia 38% superior do que o tratamento ortoqueratológico.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Comentários 0 Comentar