Cancro hepatocelular afeta mais os homens: descoberta razão

Estudo publicado na revista “Journal of Experimental Medicine”

26 julho 2019
  |  Partilhar:
Nos EUA, os homens têm o dobro da probabilidade de desenvolverem carcinoma hepatocelular. Segundo um estudo esta disparidade de géneros é devida à adiponectina, uma hormona segregada pelas células de gordura e que ajuda a controlar o metabolismo.
 
Investigadores em Espanha, do Centro Nacional de Investigação Cardiovascular, descobriram que uma hormona segregada pelas células de gordura está mais presente nas mulheres do que nos homens.
 
Similarmente aos humanos, os ratos-macho têm a mesma predisposição e os investigadores descobriram que a adiponectina em ratos-fêmea protege-as do cancro hepatocelular ao ativar duas proteínas dentro do fígado que impedem a proliferação de células e afetam o crescimento tumoral.
 
Para perceber esta diferença de quantidade de adiponectina nos dois géneros, a equipa inibiu a produção de testosterona nos roedores-macho e verificou consequentemente o aumento de adiponectina e diminuição dos tumores. 
 
Guadalupe Sabio, investigadora sénior e equipa, perceberam então que a testosterona ativa uma proteína das células de gordura, chamada JNK1, que por sua vez inibe a produção de adiponectina.
 
“Estes resultados revelam uma clara interligação entre as hormonas sexuais, tecido adiposo e fígado, mostrando os mecanismos por trás da disparidade de género no desenvolvimento do cancro”, explica Sabino.
 
Curiosamente, descobriu-se ainda com este estudo que na obesidade a presença de adiponectina também é reduzida.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentar