Beber chá muito quente pode aumentar risco de cancro do esófago

Estudo publicado na revista “International Journal of Cancer”

26 março 2019
  |  Partilhar:
O consumo regular de chá muito quente poderá fazer aumentar o risco de cancro do esófago, indicou um novo estudo.
 
Estudos anteriores tinham já sugerido que beber líquidos a temperaturas muito elevadas poderia elevar o risco de cancro do esófago. Contudo, a maioria desses estudos apoiava-se em dados recolhidos junto dos participantes, que dependiam da memória e de estimativas da quantidade e temperatura do chá consumido pelos mesmos.
 
Tal abordagem poderá ter causado vieses nos resultados. Quando os participantes têm que calcular algo em retrospetiva, por exemplo, o viés de memória poderá afetar as suas respostas. 
 
Os investigadores liderados por Farhad Islami da Sociedade Americana do Cancro, EUA, propuseram-se então conduzir um estudo prospetivo, em que medissem a temperatura a que o chá é consumido de forma objetiva, ou seja, sem depender da memória ou opinião dos participantes. 
 
Para o estudo, a equipa seguiu 50.045 pessoas com 40 a 75 anos de idade, durante uma mediana de 10 anos. 
 
Durante o período de acompanhamento, foram identificados 317 novos casos de cancro do esófago nos participantes. 
 
Em comparação com beber menos de 700 ml de chá por dia a menos de 60º, o consumo de 700 ml ou mais por dia de chá, a uma temperatura de 60º ou mais, foi associado a um risco 90% mais elevado de cancro do esófago. 
     
“Muitas pessoas gostam de beber chá, café e outras bebidas quentes. Contudo, segundo o nosso relatório, beber chá muito quente pode aumentar o risco de cancro do esófago e é, portanto, aconselhável esperar que as bebidas quentes arrefeçam antes de as bebermos”, confirmou Farhad Islami. 
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentar