Administrar hormona reguladora de pressão arterial diminui transfusões

Estudo publicado na “JAMA Surgery”

11 setembro 2019
  |  Partilhar:
Um grupo de investigadores descobriu que administrar a hormona arginina vasopressina reduz a necessidade de transferir produtos de sangue em pacientes com traumatismos e hemorragia severa.
 
Nas situações de urgência em que os pacientes dão entrada com ferimentos graves e grande perda de sangue, são administrados produtos de sangue como plaquetas ou plasma.
 
Contudo, “o uso destas opções pode levar a complicações sérias e podem nem substituir as moléculas-chave no sangue que são necessárias para aguentar a pressão arterial e assegurar o funcionamento dos órgãos vitais”, explica Carrie A. Sims, investigadora.
 
A arginina vasopressina é uma proteína produzida no hipotálamo e armazenada na glândula pituitária. Quando a pressão arterial baixa, é segregada para a corrente sanguínea para comprimir os vasos sanguíneos e fazer a pressão subir novamente para níveis normais.
 
Para o estudo, os cientistas analisaram 100 pacientes que deram entrada nas Urgências entre 2013 e 2017 com ferimentos graves e choque hemorrágico, que iam ao encontro dos critérios do estudo. 
 
Foram escolhidos 49 pacientes aleatórios para receberem uma dose inicial moderada de arginina vasopressina e 51 para receberem um placebo.
 
Foi observado que os pacientes tratados com a proteína durante 48 horas receberam uma média de apenas 1,4 litros de produtos de sangue, contra 2,9 litros, em média, no grupo de controlo. Foi ainda verificado que o primeiro grupo teve apenas 11% de casos de trombose venosa profunda contra 34%.
 
Apesar de as percentagens de complicações em 30 dias serem semelhantes (55% e 64%), os resultados são promissores na capacidade de diminuir as hemorragias.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Comentários 0 Comentar