Testosterona nos homens influenciada por meio-ambiente onde crescem

Estudo publicado na revista “Nature Ecology & Evolution”

28 junho 2018
  |  Partilhar:
Um novo estudo apurou que os níveis de testosterona nos homens são significativamente influenciados pelo meio-ambiente que os rodeia durante a infância.
 
A conclusão do estudo, efetuado por uma equipa de investigadores da Faculdade de Antropologia da Universidade de Durham, põe em questão a teoria que pressupõe que os níveis e testosterona nos homens são determinados por fatores genéticos e pela raça.
 
Para o estudo, os investigadores liderados por Kesson Magid, recrutaram 359 homens, que dividiram em vários grupos: homens nascidos e residentes no Bangladesh, homens que nasceram no Bangladesh e mudaram-se para o Reino Unido em crianças, homens nascidos no Bangladesh e que se mudaram para o Reino Unido em adultos, homens nascidos no Reino Unido, cujos pais eram imigrantes do Bangladesh e homens de etnia europeia nascidos no Reino Unido.
 
Os investigadores recolheram informação sobre a altura, peso, idade de entrada na puberdade e outras informações sobre os participantes, e ainda amostras de saliva para determinarem os níveis de testosterona dos mesmos.
 
A investigação apurou que os homens do Bangladesh que tinham crescido e viviam em adultos no Reino Unido apresentavam níveis de testosterona significativamente superiores em comparação com homens que tinham crescido e viviam com condições relativamente boas no Bangladesh em adultos. Os homens do Bangladesh que tinham crescido no Reino Unido tinham também atingido a puberdade mais cedo e eram mais altos dos que os que tinham crescido no Bangladesh.
 
Os resultados poderão ser devido ao facto de a vivência num ambiente com muitas doenças infeciosas e nutrição insuficiente fazer com que a energia de rapazes em desenvolvimento tenha que ser toda veiculada para lutar pela sobrevivência, sacrificando a testosterona.
 
Por outro lado, crescer num ambiente mais saudável não é tão exigente em termos de usar energia para lutar contra infeções e sobrevivência. O estudo sugere ainda que na idade adulta os níveis de testosterona masculinos já não serão influenciados pelo meio-ambiente.
 
Os homens com níveis baixos de testosterona poderão apresentar menos energia, falta de libido e disfunção erétil. Os homens com níveis muito elevados de testosterona apresentam mais massa muscular, mas maior risco de doenças da próstata e possivelmente mais agressividade. A equipa considera que o meio-ambiente na infância deve ser assim considerado para os perfis de risco para rastreio do cancro da próstata.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentário