Pré-diabetes não aumenta o risco de doença renal

Estudo da Faculdade de Medicina do Porto

27 abril 2018
  |  Partilhar:
Um estudo da Faculdade de Medicina do Porto (FMUP) concluiu que, ao contrário daquilo que acontece com a diabetes, a pré-diabetes não apresenta um risco significativo para o desenvolvimento da doença renal.
 
Segundo a agência Lusa, os resultados do estudo surgem na sequência de outros projetos focados em analisar a relação entre doenças endócrinas, renais e cardiovasculares.
 
Estes resultados são especialmente importantes para a prática clínica por salientarem que, em doentes com pré-diabetes, o risco de doença renal parece estar mais associado a outros fatores de risco, particularmente a hipertensão.
 
“Estava já estabelecido que a diabetes é um dos principais fatores de risco para a doença renal. No entanto, até à data, era incerto o papel da pré-diabetes na patologia”, explicou à Lusa Sérgio Neves, primeiro autor do estudo.
 
Tendo em conta este estudo clínico, “reforçamos a ideia de que, neste grupo populacional, o principal foco de intervenção deverá passar pelo adequado controlo dos fatores de risco para doença renal e pela prevenção da progressão da diabetes”, sublinhou o investigador.
 
A chamada pré-diabetes corresponde a um conjunto de alterações dos valores de glicemia (açúcar no sangue) que ainda não são suficientes para se considerar diabetes, mas que também já não são níveis normais. As pessoas com estas alterações têm um risco mais elevado de desenvolverem diabetes nos meses e anos seguintes.
 
A investigação, que contou com o apoio do Centro Hospitalar São João e orientação de Ana Oliveira e David Carvalho, valeu a Sérgio Neves um prémio Young Investigator Award, atribuído pela Sociedade Europeia de Endocrinologia.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Comentários 0 Comentário