Músicos reagem mais rapidamente aos estímulos

Estudo publicado na revista “Brain and Cognition”

16 janeiro 2017
  |  Partilhar:

Investigadores do Canadá constataram que os músicos têm tempos de reação mais rápidos aos estímulos sensoriais comparativamente com a restante população, apurou um estudo publicado na revista “Brain and Cognition”.
 

O estudo levado a cabo pelos investigadores da Universidade Montreal, no Canadá, sugere que estes achados podem ter implicações na prevenção de alguns efeitos no envelhecimento.
 

De acordo com Simon Landry, um dos autores do estudo, quanto mais se sabe sobre o impacto da música nos processos sensoriais realmente básicos, mais se pode aplicar o treino musical a indivíduos que podem ter tempos de reação mais lentos.
 

À medida que as pessoas envelhecem, por exemplo, os tempos de reação ficam mais lentos. O investigador acrescenta que agora que se sabe que tocar um instrumento aumenta os tempos de reação, a realização deste tipo de atividades pode ser útil para os indivíduos mais idosos.
 

Para o estudo os investigadores compararam o tempo de reação de 16 músicos e 19 estudantes que não frequentavam aulas de música. Os músicos incluíam oito pianistas, três violinistas, dois percussionistas, um contrabaixista, um harpista e um guitarrista. Todos exceto o violinista também tocavam um segundo instrumento.
 

Os participantes foram convidados a permanecerem sentados numa sala silenciosa e bem iluminada, com uma mão num rato de computador e o dedo indicador da outra mão num dispositivo vibro-táctil, uma pequena caixa que vibrava intermitentemente.
 

Os participantes tinham de clicar no rato do computador quando ouviam um som proveniente das colunas que se encontravam à sua frente, ou quando a caixa vibrava, ou quando estes dois eventos ocorriam. Cada um dos três estímulos, áudio, tátil e áudio-tátil, foi realizado 180 vezes.
 

O estudo apurou que, comparativamente com os estudantes, os músicos apresentavam tempos de reação significativamente mais rápidos para os estímulos auditivos, táteis e áudio-táteis.
 

De acordo com os investigadores estes resultados sugerem, pela primeira vez, que tocar um instrumento musical pode, a longo prazo, reduzir os tempos de reação auditiva não musical, tátil e multissensorial.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Comentários 0 Comentário