Internet de banda larga causa privação de sono

Estudo publicado na “Journal of Economic Behavior and Organization”

06 agosto 2018
  |  Partilhar:
Quem possui internet de banda larga dorme menos 25 minutos por dia, tem uma menor possibilidade de dormir a quantidade de sono recomendada e ficar menos satisfeito com o seu sono, apontou um estudo.
 
Conduzido por Francesco Billari e Luca Stella investigadores da Universidade Bocconi, Itália, e Osea Giuntella, da Universidade de Pittsburgh, EUA, o estudo descobriu que a internet de banda larga é, de facto, uma das causas da privação de sono.
 
“Os indivíduos com acesso DSL tendem a dormir menos 25 minutos do que os seus homólogos sem internet de banda larga. Eram significativamente menos propensos a dormirem entre 7 e 9 horas, a quantidade de sono recomendada pela comunidade científica, e menos propensos a ficarem satisfeitos com o seu sono”, atestou Francesco Billari da Universidade Bocconi.
 
Só na Alemanha, a título de exemplo, perdem-se por ano cerca de 200 mil dias de trabalho devido a sono insuficiente, o que causa uma perda de cerca de 1,6% do PIB do país. 
 
Aproveitando o facto de a instalação da banda larga na Alemanha estar dependente, ao longo dos anos, de razões técnicas e históricas, a equipa associou dados sobre a banda larga a questionários em que os cidadãos relatavam a duração do seu sono.
 
Os investigadores concluíram que o acesso à internet de banda larga reduz a quantidade e qualidade do sono e as pessoas acabam por ter problemas com a compensação do sono de manhã devido a razões de trabalho ou familiares. Aquele efeito é também causado pelo uso de dispositivos eletrónicos à noite (e não pelo seu uso durante o dia). 
 
“As tentações digitais poderão conduzir a um atraso na hora de ir para a cama, o que acaba por diminuir a duração de sono nas pessoas que não conseguem compensar a ida mais tardia para a cama, com um despertar mais tardio de manhã”, explicou Francesco Billari.
 
As tentações digitais variam de acordo com a idade, apuraram ainda os autores. Nos adolescentes e jovens adultos (13 a 30 anos de idade), são os jogos de computador, a TV e vídeos que os mantêm acordados à noite. Nos adultos mais velhos (dos 31 a 59 anos de idade) são os computadores e “smartphones” que os fazem ir dormir mais tarde e menos tempo.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Comentários 0 Comentário