Febre hemorrágica da dengue: descoberto possível tratamento

Estudo publicado na revista “Journal of Clinical Investigation”

11 setembro 2019
  |  Partilhar:
Uma equipa de investigadores descobriu uma enzima responsável pela fuga de sangue pelos vasos sanguíneos em algumas pessoas infetadas pela dengue.
 
A dengue é uma infeção que, na maioria dos casos, apresenta sintomas leves e semelhantes a uma gripe, associados a vómitos e outros. Contudo, algumas pessoas desenvolvem febre hemorrágica, a forma mais severa da doença.
 
Nestes casos mais graves, o sangue transpõe os vasos sanguíneos, dando origem a hemorragias e posteriormente a síndrome de choque de dengue em que o sistema circulatório falha. Se não for tratada a tempo, leva à morte do doente.
 
Ashley St. John, autora do estudo, revela que observaram “nos casos mais severos, uma enzima em particular chamada triptase que corta as proteínas que funcionam como uma selagem entre as células dos vasos sanguíneos, resultando em fugas de sangue e choque durante a infeção por dengue”.
 
Para testar a teoria, os investigadores administraram um inibidor de triptase, já utilizado atualmente para tratar hemorragias, em modelos pré-clínicos.
 
Os resultados demonstraram que o inibidor Nafamostat mesylate preveniu a fuga de sangue dos vasos sanguíneos em modelos de dengue e reduziu significativamente esta fuga em modelos mais severos da doença.
 
Foi observado que pacientes com a forma mais severa da doença apresentavam níveis altos de triptase no sangue, enquanto que aqueles com a forma menos grave tinham níveis mais reduzidos, reforçando a associação entre a triptase e as hemorragias. 
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentário