Doença bipolar pode aumentar risco de doença de Parkinson

Estudo publicado na “Neurology”

30 maio 2019
  |  Partilhar:
Os pacientes com doença bipolar apresentam um maior risco de desenvolverem a doença de Parkinson, sugerem os resultados de um novo estudo. 
 
O estudo, que foi efetuado por uma equipa de investigadores liderada por Mu-Hong Chen, do Hospital Geral de Veteranos de Taipei, em Taiwan, descobriu ainda que ter doença bipolar de severidade elevada faz aumentar ainda mais o risco daquela doença neurodegenerativa.
 
A investigação teve por base a análise dos processos clínicos de 56.340 pacientes com doença bipolar diagnosticada em Taiwan, entre 2001 e 2009. 
 
A equipa comparou os dados dos processos clínicos daqueles pacientes com os de processos clínicos de 225.360 pessoas em Taiwan, sem diagnóstico de doença bipolar ou de doença de Parkinson.
 
Ambos os grupos de participantes foram acompanhados até fim de 2011. Após a análise dos dados, os investigadores descobriram que 0,7% dos indivíduos com doença bipolar tinham desenvolvido Parkinson durante o estudo, contra apenas 0,1% no grupo de controlo.
 
Após efetuarem ajustes relativos ao historial de medicação, idade, sexo e outros fatores, os investigadores apuraram que os participantes com doença bipolar no início do estudo eram sete vezes mais propensos a desenvolverem Parkinson, em relação aos que não possuíam doença bipolar.
 
Foi ainda apurado que os pacientes com doença bipolar tinham desenvolvido Parkinson em média aos 64 anos; nos participantes que não tinham doença bipolar, a média de idades de desenvolvimento da Parkinson tinha sido aos 73 anos.
 
Finalmente, os participantes que tinham sido hospitalizados com maior frequência por doença bipolar eram os que apresentavam o risco mais elevado de desenvolverem Parkinson numa altura posterior da vida.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Comentários 0 Comentário